É um exame complementar usado em cardiologia, que utiliza ultra-som para gerar imagens do coração através de aparelhos de alta tecnologia.

O que é Ultra-som?
Semelhante ao som, o ultra-som é uma onda sonora de alta freqüência (> 20.000 ciclos por segundo (HZ) acima dos níveis da audição humana. É constituído por zonas de compressão e rarefação das moléculas de um determinado meio produzidas por um componente vibrátil. Ou seja, quanto maior a densidade de um meio (compacto) maior sua capacidade de refração de som. O aparelho de ultra-som , assim como o sonar dos submarinos,transforma diferentes graus de refração de som em imagens.

Para fins de diagnóstico médico, este componente vibrátil é constituído pelas sondas ou transdutore que tem como característica gerar ondas de ultra-som com freqüência de milhões de ciclos por segundo, ou megahertz (MHZ) e são capazes de captar as ondas de ultra-som que se refletiram em algum local e a ele voltaram.

No ecocardiograma, o médico manipula o transdutor na parede torácica do paciente, procurando direcionar os feixes de ultra-som para a região do coração que deseja estudar.

Para que serve o Ecocardiograma?
Atualmente o ecocardiograma é o principal meio de diagnóstico não invasivo na grande maioria das doenças cardíacas. Fornece uma série de detalhes anatômicos como tamanho, espessura, movimentação das valvulas, contração do músculo, fluxo sanguíneo, etc.

É utilizado no diagnóstico, avaliação de gravidade, planejamento terapêutico e estratificação prognóstica de praticamente todas as afecções do sistema cardiovascular.

A ausência de efeitos colaterais, o relativo baixo custo e a facilidade de transporte e operacionabilidade (que permite a realização de exames a beira do leito, centro cirúrgico ou ambulatorialmente) muito contribuíram para que o ecocardiograma tivesse hoje o destaque que alcançou.

Modalidades:
• Ecocardiograma modo M (unidimensional)

Foi a primeira modalidade utilizada pela ecocardiografia. É utilizada principalmente para medir os diâmetros das câmaras cardíacas e a espessura miocárdica. Permite a realização de cálculos importantes com a massa cardíaca e fração de ejeção.

• Ecocardiograma Bidimensional

Modalidade que veio revolucionar a ultrasonografia, o aperfecionamento tecnológico permitiu que os aparelhos de ultra-som transformassem as imagens em figuras dimensionais possibilitando uma melhor avaliação anatômica. Permite a avaliação de quase todas as estruturas do coração em tempo real sendo muito útil na avaliação da função global e contração segmentar.

• Ecocardiograma com Doppler

Descrito por Christian Johann Doppler em 1842, este método fundamenta-se na análise da variação da freqüência de ultra-som encontrada nos ecos refletidos pelas hemácias. Permite informações importantes referentes à velocidade e direção dessas hemácias, e, portanto do sangue. É utilizados para avalição de fluxos intracavitários e transvalvares como regurgitação e gradientes transvalvares, shunts intracardíacos e análise de disfunção diastólica.

• Ecocardiograma com Mapeamento de Fluxo de Cores

Sendo o mais recente avanço no diagnóstico ecocardiográfico é a apresentação do fluxo sanguíneo a cores. Permite a avaliação da circulação no interior do coração e vasos. Através da codificação eletrônica, o fluxo sanguíneo que se dirige ao transdutor é visualizado em vermelho e quando se afasta em azul. Esta modalidade do ecocardiograma é útil principalmente nas análises das valvopatias e cardiopatias congênitas.

• Ecocardiograma com Estresse Farmacológico

O Ecocardiograma com Estresse Farmacológico é um procedimento diagnóstico no qual o paciente é exposto a um agente “estressor” cardiovascular enquanto a sua resposta é monitorizada. É um ultrasson do coração com a infusão venosa de drogas causadoras de estresse (as mais utilizadas são a dobutamina e o dipiridamol). As principais indicações deste exame são para diagnosticar isquemia cardíaca e para avaliar a viabilidade miocárdica.

• Ecocardiograma Transesofágico

Uma sonda de fibra óptica com um transdutor de ultra-som de alta freqüência na ponta é introduzida no esôfago do paciente sob anestesia superficial (sedação leve).

Isso possibilita a grande vantagem do transdutor ficar posicionado imediatamente atrás do coração separado apenas pela fina camada do esôfago. As imagens são mais nítidas e sem interferências.

É normalmente indicado para pesquisa de fonte emboligênica (visualização de pequenos trombos no apêndice atrial esquerdo), vegetações (crescimento de material infeccioso ou inflamatório), doenças da aorta (dissecção aórtica, aneurismas), valvopatias, próteses valvares, cardiopatias congênitas no adulto e tumores.

• Ecocardiograma Fetal

É a realização do ecocardiograma onde o transdutor é colocado no abdômen da gestante e feito a análise cardíaca do feto. Importante no diagnóstico precoce ainda intra-útero das cardiopatias congênitas possibilitando melhor manuseio e sobrevida do recém-nascido.

• Ecodoppler Vascular

Consiste na avaliação pelo ultra-som dos vasos (artérias e veias) do corpo humano. Podendo avaliar quase todos os vasos do sistema circulatório o ecodoppler ou duplex scan possibilita analisar o tamanho, morfologia e fluxo. Os locais freqüentemente estudados estão os sistemas carotídeos e vertebrais, sistemas venoso e arterial dos membros superiores e inferiores, aorta, ilíacas e artérias renais. As principais doenças diagnosticadas são: aneurismas, insuficiência arterial (obstrução por placa de aterosclerose), insuficiência venosa (varizes) e trombose venosa profunda.

• Dicas

No ecocardiograma transtorácico clássico não há necessidade de nenhum preparo especial para o exame que é feito em repouso.

O ecocardiograma transesofágico necessita de jejum de pelo menos 6 horas e o paciente deve vir acompanhado, uma vez que será sedado.