O Eletrocardiograma é um dos mais antigos e importantes exames da cardiologia. Introduzido na prática médica há quase 200 anos o ECG é capaz de informar uma série de condições cardiológicas anormais como alterações de ritmo e de frequência cardíaca, infartos e até alterações estruturais do coração como aumento do volume e espessura da musculatura cardíaca.

Como Funciona?

Os batimentos cardíacos são comandados por um sistema de marca-passo natural.
São células nervosas dispostas especialmente no coração com capacidade de gerar e transmitir impulsos elétricos que estimulam as fibras musculares cardíacas provocando contração.
Toda esta atividade elétrica pode ser captada por eletrodos colocados na pele.

Ela é transmitida a um aparelho que registra as alterações elétricas em forma de linhas com características específicas .
Esse registro pode ser feito em um papel ou em uma tela de monitor. Em um coração normal cada impulso elétrico provoca uma contração do coração. A contração sequencial dos átrios e depois dos ventrículos pode então ser acompanhada pelo traçado do eletrocardiograma. Diversas patologias podem interferir na geração e/ou transmissão normal do impulso elétrico no coração alterando traçado do ECG.

Preparo para o exame

• não existe preparo específico, podendo ser realizado em quaisquer circunstâncias
• o exame é feito normalmente com paciente em repouso e deitado de costas.
• é preciso descobrir o tórax para colocação dos eletrodos torácicos. Em mulheres pode ser necessária a retirada do sutiã.
• são colocados eletrodos nas extremidades dos membros superiores e inferiores além do tórax. Normalmente aplica-se gel ou álcool na pele antes de se instalar os eletrodos.